BRASIL COLÔNIA: A sociedade da região mineradora

   A sociedade que surgiu da zona da mineração também era patriarcal e autoritária, mas ao contrário da sociedade da região do açúcar apresentava uma formação social tipicamente urbana e se caracterizava por uma maior mobilidade. Além disso, a população da região das minas era bem mais diversificada, incluindo um segmento de classe média que tornava a sociedade menos polarizada. A elite era formada pelos grandes mineradores e ricos comerciantes, além dos altos funcionários da Coroa e seus representantes na colônia. Uma numerosa classe média urbana, constituída de pequenos mineradores e comerciantes, artesãos, profissionais liberais, militares e clérigos, além de uma população itinerante de tropeiros, artistas, etc. formava um setor intermediário. Na base da estrutura social estavam os numerosos brancos pobres, mestiços e escravos, empregados nas mais diversas funções, especialmente na atividade mineradora. Considerem-se, ainda, os mendigos, prostitutas, salteadores, aventureiros, etc.


    A enorme riqueza e opulência geradas pelo ouro fizeram com que a colônia vivesse seu primeiro surto de desenvolvimento cultural. Boa parte da riqueza foi utilizada na construção e na ornamentação de igrejas, de estilo barroco, e em santuários. A obra extraordinária do escultor Aleijadinho é mundialmente admirada e reconhecida pelo seu valor artístico. Na região das Minas surgiram, naquela época, as academias de literatura nas quais despontaram os poetas do chamado Arcadismo: Cláudio Manuel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga, Alvarenga Peixoto, etc. Muitos desses escritores participaram, por exemplo, da Inconfidência Mineira e constituíram o núcleo inicial de uma elite que, depois, teria atuação fundamental no movimento de independência do Brasil. Apareceram, também, os primeiros vultos brasileiros, dignos de destaque, na produção musical. A música, tal como as outras manifestações culturais do período colonial, estava diretamente vinculada com a religião e teve, entre seus expoentes, a figura do padre José Maurício, autor de inúmeras obras de enorme beleza musical.


Comentários