FORMAS DE CONSCIÊNCIA: Consciência Mítica

  A CONSCIÊNCIA MÍTICA


   A consciência mítica é constituída por narrativas e ritos tradicionais, parte integrante da cultura de cada povo (principalmente povos primitivos), que utilizam elementos simbólicos para explicar a realidade e dar sentido à existência humana. Eles descrevem, de maneira fantástica e alegórica, acontecimentos que teriam ocorrido num tempo primordial, explicando a origem das coisas da natureza e dos próprios homens. Segundo os mitos, a ação de entes sobrenaturais ou as façanhas de seres heróicos fizeram a realidade existir, tal como ela é. Embora não seja um conhecimento de tipo racional, o mito constitui uma forma de explicar a realidade, de transmitir valores e de atribuir significado à vida humana. A consciência mítica relaciona o humano com o sagrado e o natural através de processos simbólicos e de uma linguagem metafórica. Através deles, os homens criaram meios para lidar com os desafios que a natureza lhes colocou, gerando uma sensação de amparo ou segurança frente à vida. Por intermédio de ritos sagrados as comunidades afirmavam e renovavam sua aliança com as forças da natureza, ou tentavam aplacar seus males. A consciência mítica tem, portanto, um caráter prático e um sentido operativo, transmitindo conhecimentos, valores, noções e padrões de conduta importantes para a reprodução de uma formação social e sua relação com o meio ambiente. Por isso mesmo, os mitos e as lendas são sempre ricos em ensinamentos e reflexões sobre o homem e sua condição no mundo, embora representem isso por metáforas e alegorias. Eles sempre falam da origem do mundo, do homem, das plantas e animais com os quais ele convive, mas também sobre o significado da vida e da morte, das leis e dos costumes, etc.



Comentários